Um Género de Igualdade

e agora eles

Bruno Ferreira

A igualdade de género é um tema que abraça o mundo – nomeadamente o ocidental – exactamente com a mesma intensidade em cada recanto. No caso em particular não podemos queixar-nos de Portugal se situar, como acontece em tantas matérias, no fundo da tabela. E isto torna este facto ainda mais preocupante. Poderia ser um problema a requerer maior consciência apenas aqui, na nossa terra. Mas não é. É um tema à escala mundial. O que faz dele uma questão de toda a humanidade. Em demasiadas sociedades vive-se ainda a pré-história no que toca à questão dos direitos, liberdades e garantias da mulher. Mas naquelas, ditas desenvolvidas, a questão mantém-se. Têm as mulheres o mesmo papel do que os homens? Os direitos são os iguais?

Existe um aceitar surdo e tácito, por parte da sociedade – em todos os seus estratos – no que diz respeito ao desfasamento do papel da mulher, comparativamente ao do homem. Apesar do ser humano ter vindo a conseguir desbravar façanhas científicas incalculáveis tão-só há meia dúzia de anos, este é um tema por resolver no âmago da consciência global. Nos primórdios da espécie pensadora sedentária, o homem, dotado de maior compleição física e da testosterona que o atestava de bravura, saía em grupo para as caçadas que haviam de alimentar a aldeia. Nas palhotas ficavam mulheres, crianças, velhos e doentes. As primeiras, na gestão do dia-a-dia de cada palhota, das crianças e dos incapazes. Logo, no seu conjunto, de toda a comunidade. O que à partida parece ser uma composição social com o homem no topo hierárquico tem, na realidade, uma leitura completamente diferente.

Ficando na aldeia, a mulher encarna o papel de gestora. É ela quem gere aquela comunidade na ausência do homem. É ela, na linguagem empresarial dos dias que correm, a CEO da aldeia, ainda que sem estatuto conferido pelo “board” masculino. E a gestão que implementa no espaço social vai muito além da preparação das tarefas rotineiras. A mulher ocupa-se, ainda, das crianças, justamente aqueles que garantirão a descendência e afiançam o provir daquela comunidade. Justo será dizer que são elas que asseveram a educação dos mais novos. É a mulher que transmite os conhecimentos e ensinamentos daquela comunidade a essas crianças. É a mulher a professora, a pedagoga da comunidade. E não ficamos por aqui. Os mais fracos não saíram para caçar. Desta forma as mulheres ficaram, também, responsáveis, pelos mais velhos e pelos doentes. E é neste momento que, às suas tarefas de gestão comunitária, as mulheres juntam o seu estatuto de diligência. São cuidadoras e são enfermeiras, mas tantas vezes médicas (papel reservado ao ancião homem da aldeia).

É do cruzamento de todas estes papéis, e responsabilidades, que nasce a importância extrema da mulher no seio do grupo, sempre subjugada, no entanto, pela força do homem. Que ao chegar da caça, com comida, volta também a trazer a segurança à aldeia. O homem cumpre assim, neste grupo social, e de acordo com o psicólogo Abraham Maslow, os dois estratos mais básicos das necessidades humanas: alimentação e segurança. Não os atingiria, nunca, se lá não estivesse a mulher. Assim como não conseguiria, por força da natureza, sozinho, cumprir o terceiro nível de necessidades: A procriação e o sexo; a família. Já para não referir os dois mais altos estratos dessa pirâmide: a auto-estima e a realização pessoal que, em parte maior, são reconhecidamente imputados à mulher.

Posto isto, avancemos para a idade dos 5G. Da ida a Marte. Do tratamento de doenças até há pouco mortíferas. À escala da linha que traça a história da humanidade, actualmente o ser humano evolui vários séculos em escassas décadas. Somos capazes de quase tudo. Mas ainda não conseguimos uma justa igualdade de género. Estamos a viver apenas um género de igualdade.

Uma opinião sobre “Um Género de Igualdade

  1. Valorizar as mulheres neste espaço a si reservado no Expoente M vai ser uma luta titânica até que os homens assim o entendam ..Nós mulheres somos ou podemos ser o baluarte da humanidade ,da harmonia ,da paz ,da beleza na sua capacidade de parir o Mundo …Vamos lá !!!!

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s