BELENENSES SAD vs CLUBE DE FUTEBOL “OS BELENENSES” – OS 10% QUE AGUENTAM A SAD NA I LIGA –

ars atlhetica

Sara Mesquita

O Regime Jurídico das Sociedades Desportivas surge na expectativa de criar um regime igualitário, onde se estipula que nas competições profissionais só podem participar sociedades desportivas (SAD ou SDUQ).

Neste sentido, e entre outros aspetos e formalidades, que alimentam os amantes do Direito do Desporto e aborrecem os amantes do Desporto, um clube que esteja prestes a alcançar a sua posição numa competição profissional, só consegue atingir o fim pretendido se constituir uma sociedade desportiva, seja ela uma SDUQ – a quota única da sociedade pertence exclusivamente ao clube fundador – ou uma SAD.

O objeto das sociedades desportivas deve consistir “na participação numa ou mais modalidades, em competições desportivas, na promoção e organização de espetáculos desportivos e no fomento ou desenvolvimento de atividades relacionadas com a prática desportiva da modalidade ou modalidades que estas sociedades têm por objeto.”

E estas podem ser constituídas de três formas:

  • De raiz – a sociedade a constituir não está associada a nenhum clube, apesar de ser possível ter um clube como sócio.

Naturalmente, e como o próprio conceito indica, esta sociedade desportiva surge ex novo e a sua participação nas competições desportivas começa pela competição mais baixa da modalidade;

  • Por transformação do clube – a sociedade “ocupa” o lugar do clube.

Atendendo ao facto de, nas SDUQ, o clube ser o único titular da participação da sociedade, esta forma de constituição de sociedades só poderá ser utilizada na constituição de sociedades anónimas.

  • Pela personalização jurídica de uma equipa – o clube continua a existir, detendo uma participação privilegiada na sociedade desportiva.

E é nesta forma de constituição das sociedades desportivas, que nos vamos focar agora para analisar a possível manutenção do Belenenses SAD nas competições profissionais, depois de o clube alienar a sua participação, caso isso venha a acontecer.

No ato de constituição da sociedade desportiva, os contratos dos atletas e a posição do clube na competição desportiva transmitem-se obrigatoriamente do clube para a sociedade desportiva.

Em regra, no momento da constituição da sociedade desportiva é celebrado um protocolo entre esta e o clube, onde é definida a utilização do símbolo, do estádio, dos veículos automóveis, das receitas das bilheteiras, etc..

No “Caso do Belenenses”, o clube denunciou o protocolo celebrado com a SAD, motivo pelo qual esta última deixou de estar autorizada a usar os símbolos e sinais distintivos do clube e, bem assim, o Estádio do Restelo, uma vez que estas matérias encontravam-se reguladas no protocolo e não se transmitiram para a SAD no momento da sua constituição ou em momento posterior. Aliás, as instalações desportivas podem ser cedidas pelo clube à sociedade desportiva, mas não podem ser transmitidas.

O que distingue as SAD’s constituídas pela personalização jurídica de uma equipa das restantes formas de constituição de sociedades desportivas é, principalmente, a existência de ações de categoria A e ações de categoria B.

As ações de categoria A pertencem exclusivamente ao clube fundador, não podendo a participação direta do clube na SAD ser inferior a 10% do capital social. As ações de categoria A conferem direitos especiais ao clube, nomeadamente o direito de veto das deliberações da AG que tenha como objeto a fusão, cisão, ou dissolução da sociedade, a mudança da localização da sede e os símbolos do clube, desde o emblema ao equipamento e ainda o poder de designar, pelo menos, um dos membros do órgão de administração, com direito de veto das deliberações que tenham o mesmo objeto indicado para o veto do clube.

Analisando o regime é fácil perceber que a intenção do legislador ao criar esta forma de constituição de sociedade desportiva foi privilegiar e proteger o clube fundador. A não ser assim, os sócios e adeptos sentiriam cada vez mais o distanciamento do seu “clube do coração” e deixariam de ter qualquer poder de decisão sobre o mesmo. Esta forma de constituição de sociedade desportiva é criada pelo legislador para manter os sócios e adeptos ligados ao clube.

Se o clube transmitir a sua participação na SAD e se dissociar totalmente desta, deixam de existir ações de categoria A e passam a existir ações exclusivamente de categoria B, tal como acontece nas demais formas de constituição de sociedades desportivas.

A constituição da SAD nestes termos só é possível porque existe um clube que lhe dá legitimidade para começar a competir, sem ser na competição mais baixa da modalidade. O clube fundador não é apenas um titular de ações privilegiadas, na minha modesta opinião, que confesso não ser unânime, o clube fundador é o coração da SAD, e se este deixar de bater, a SAD morre.

A “morte” da SAD acontece porque a participação mínima legalmente exigida não deve, a meu ver, estar verificada apenas no momento da constituição da sociedade, mas sim ao longo de toda a vida desta. Até porque os privilégios concedidos ao clube fundador pressupõem a sua participação na sociedade, estando o regime pensado para a continuidade do clube fundador na SAD. Esta “morte” da SAD não significa necessariamente a sua dissolução total por perda superveniente do seu objeto, podendo haver lugar à sua transformação. Mas uma consequência deverá sempre ser comum a qualquer que seja a “morte” da SAD: a disputa das competições pela competição mais baixa da modalidade, não devendo a SAD permanecer na posição que alcançou pela personalização jurídica de uma equipa. Aliás, isso seria uma batota tão descarada que a verdade desportiva que todos queremos alcançar na sua plenitude, ficaria cada vez mais distante.

Faltam Mulheres com garra nas SAD’s!!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s