GTI (Gentle, Tall and Intelligent)

O amor à sexta-feira!

Nádia Mira

Gentle, tall and intelligent – diria que são adjetivos que me assentam bem. Isso da modéstia está cada vez mais em desuso e nada como um bom marketing pessoal para sobreviver às selváticas exigências do amor moderno. O problema é que, no fundo, quem é que quer um GTI? É que isto do amor, como bem nos explicam os Clã, funda-se em muito mais do que altos desempenhos.

Os Clã formaram-se em Novembro de 1992 e em 1995 assinaram um contrato discográfico com a EMI-Valentim de Carvalho iniciando nesse mesmo ano as gravações do seu disco de estreia “LusoQUALQUERcoisa”. Porém, e ao contrário do esperado, o disco quase não vendeu e a banda portuense praticamente não foi convidada para concertos.

O insucesso do primeiro disco levou os Clã a fazerem uma profunda autoanálise e a infletirem o caminho que se propunham trilhar. A sonoridade com influências de acid-jazz e funk que domina o disco de estreia dá lugar a uma linhagem de rock com swing, pontuada por baladas intensas e uma abrangência pop de que nunca se envergonharam.

O segundo álbum, “Kazoo”, é gravado, segundo os próprios, “um pouco à pressa” e tornar-se-ia o álbum de explosão de popularidade dos Clã, graças a canções que se tornaram clássicos na discografia do grupo e no cancioneiro pop português. Entre elas estão, naturalmente, a incontornável “Problema de Expressão” e esta enérgica “GTI (Gentle, tall and intelligent)”, ambas escritas, tal como todos os temas do disco, por Carlos Tê.

Ao contrário da pouca popularidade que tiveram com o primeiro disco, com “Kazoo”, os Clã iniciaram uma digressão de mais de dois anos, com mais de 100 espetáculos, só em Portugal, e são ainda hoje uma das bandas mais acarinhadas do país.

Manuela Azevedo é das mais interessantes performers do pop-rock nacional, em palco é tudo o que uma estrela rock deve ser – arrojada, intensa e abundante. Mas mais do que performance, Manuela é entrega e é isso, muito mais do que o desempenho, que a torna superlativa. Apesar de em determinado momento ter achado que o amor não era para ela, como vocalista dos Clã, a cantora não tem parado de o espalhar.

Eu cá continuarei, convicta de que até podia ser um GTI… Porém, aprendi com a Manuela – para que é que alguém quer um GTI? Portanto, apesar das minhas qualidades corresponderem na perfeição ao acrónimo, opto pelas velocidades moderadas e pelos desempenhos confiáveis e menos explosivos. Ainda assim, é sexta-feira, sou rapariga para não desdenhar andar a abrir por aí, no meu compacto citadino, por entre os sonhos de quem povoa os meus.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s