Will You Love Me Tomorrow

https://www.youtube.com/watch?v=IRbQtwEqQng

O amor à sexta-feira!

Nádia Mira

Diz-me o facebook que Cláudio trocou Cristina sem prévio aviso e que Cristina, mulher firme e do povo, reagiu abnegada, partilhando na sua rede social uma frase eloquentemente piegas, cuja autoria felizmente desconheço: “Amar é ter um pássaro pousado no dedo. Quem tem um pássaro pousado no dedo sabe que, a qualquer momento, ele pode voar”. Cristina, que tem o seu histórico de abandonos, sabia disto e, na verdade, quase todos nós, sem precisarmos das mais que batidas metáforas aviculares, também o sabemos. Nós e a dupla Goffin & King.

“Will You Love Me Tomorrow”, também conhecida como “Will You Still Love Me Tomorrow”, é uma música escrita pelo casal de compositores Carole King e Gerry Goffin. Em 1960 foi originalmente gravada pelas Shirelles, que elevaram o single a número um do top Billboard Hot 100. Foi a primeira canção de um girlie group negro a alcançar o lugar cimeiro do top nos Estados Unidos.

Por mais revolucionários que tenham sido os anos 60, poucas canções deram voz a preocupações da vida real das jovens mulheres – especialmente quando se tratava de sexo. “Will You Love Me Tomorrow” foi a grande exceção à regra. Numa letra simples e concisa, o casal de compositores pregou as inseguranças de uma nova geração de mulheres que se começava a libertar sexualmente. A mensagem é confiante e vulnerável em igual medida.

Numa mistura incrivelmente deslumbrante de country, R&B e pop orquestral, encontramos a líder das Shirelles, Shirley Owens, convidando o seu amante a declarar se está realmente apaixonado ou se apenas a quer levar para a cama. Embora o sexo não seja mencionado explicitamente o subtexto é evidente, o que levou a que muitas rádios banissem a canção.

Se dúvidas houvesse sobre a relevância do tema, a incontável quantidade de versões que conheceu ao longo dos anos diz bem da sua importância. Para além da gravação da própria Carol King em 1971, a música foi gravada por nomes como Dusty Springfield, The Four Seasons, Roberta Flack’s, Bryan Ferry, Bee Gees, Lesley Grace, Ben E. King, Cher, Neil Diamond, Amy Winehouse ou os sempre suspeitos Me First and the Gimme Gimmes, entre muitos outros.

Lançada no mesmo ano da primeira pílula anticoncepcional oral, poucas músicas capturaram o agridoce de uma revolução cultural mais admiravelmente do que “Will You Love Me Tomorrow”.

Hoje, 60 anos após o lançamento da canção, as dinâmicas relacionais e sexuais alteraram-se substancialmente, mas há algo que nessas dinâmicas se conserva – a dúvida e o permanente sobressalto. Porém, nós só podemos amar o que conhecemos, por isso não nos engaiolemos e aproveitemos a sexta-feira sem medo do que o amanhã nos trará, é que… “pássaros criados em gaiolas acreditam que voar é uma doença”. Vai buscar, Cristina!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s