“Quem me dera ouvir de alguém a voz humana | Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia”*

carrossel dos esquisitos Ana Ademar É muito raro conseguir concordar na totalidade com qualquer ideia, mesmo que seja minha. Se organizo uma opinião, logo de seguida invento três ou quatro “mas” que, se não a invalidam, pelo menos colocam-na em causa. Depois fico confusa e abandono o pensamento. Não me impede de ir aventando opiniões … Continuar a ler “Quem me dera ouvir de alguém a voz humana | Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia”*

Não calar

idos de março Sónia Calvário A guerra na Europa fez relegar para segundíssimo plano a preocupação com a Covid. Dois anos de pandemia em Portugal, a expectativa do regresso à normalidade foi defraudada pelo início de um conflito bélico e da ascensão dos autodenominados defensores da paz e dos mais desprotegidos. Muitos deles que consideram … Continuar a ler Não calar