“AS OPINIÕES SÃO COMO AS VAGINAS: CADA UM TEM A SUA E QUEM QUER DÁ-LA, DÁ-LA.”

carrossel dos esquisitos Ana Ademar Apercebo-me que a silly season foi abolida. Se bem se lembram, a silly season acontecia no Verão: perante o encerramento de vários serviços, incluindo do Estado, a ausência de notícias provocava uma torrente de não-notícias a encher as capas de jornais e os posts das redes sociais e dávamos por … Continuar a ler “AS OPINIÕES SÃO COMO AS VAGINAS: CADA UM TEM A SUA E QUEM QUER DÁ-LA, DÁ-LA.”

As máquinas

Maria Campaniça Celina Nobre Antes, existia na minha terra o Largo dos Correios. Era o largo das coisas de toda a gente: da Igreja, do Café, da mercearia do sr. Goncalves, do Táxi e do padeiro. Havia no meio do largo um molho de laranjeiras amargas deixadas pelos árabes e bancos de jardim à volta. … Continuar a ler As máquinas

Universo Sou Eu

Laboratório de (des)construção poética Marias Leopoldina Pina de Almeida A poesia veste-se com imagens longas e soltas e vagueia por todos os nossos lugares. Passeia em círculos pelo desconforto acumulado dos corpos e diverte-se a desafiar as suas arestas mais cansadas. Vai libertando os espaços que foram deixados ao abandono. Concentra-se nos tecidos que estão … Continuar a ler Universo Sou Eu