Baloiço de corda

Maria Campaniça Celina Nobre Houve uma época em que nasciam baloiços de corda, nas azinheiras, onde as crianças se divertiam, empurradas pelos sonhos. A escola era cheia de crucifixos e de fotos sépia, emolduras em madeira, imbuídas de tempo, que iam sendo, lentamente, roídas pelos bichos. Nessa altura, as meninas usavam laços brancos no cabelo. … Continuar a ler Baloiço de corda

Heteronormatividade, Identidade de Género e Expressões de Género

dissidências e resistências Vera Pereira Tudo o que possibilita e facilita a reprodução sexual é considerado normal e natural, designadamente a ideia da existência de apenas dois géneros. Todas as variações  têm vindo a ser, historicamente, privadas do status de normalidade, e estas pessoas,  vistas como anormais e os seus corpos e comportamentos sexuais historicamente … Continuar a ler Heteronormatividade, Identidade de Género e Expressões de Género

Não calar

idos de março Sónia Calvário A guerra na Europa fez relegar para segundíssimo plano a preocupação com a Covid. Dois anos de pandemia em Portugal, a expectativa do regresso à normalidade foi defraudada pelo início de um conflito bélico e da ascensão dos autodenominados defensores da paz e dos mais desprotegidos. Muitos deles que consideram … Continuar a ler Não calar

Os meninos são alérgicos e os cães têm pulgas.

Maria Campaniça Celina Nobre Juvenal nasceu pobre. A horta onde os pais moravam, cercada por um muro de pedra, onde no inverno se acumulavam musgos, haveria de lhe ditar a sina, muito mais do que supunha, quando em criança o pulava, vezes seguidas, para impressionar os poucos que o olhavam, enquanto fazia a gracinha. Normalmente … Continuar a ler Os meninos são alérgicos e os cães têm pulgas.