Jorge Serafim

image1Jorge Serafim é natural de Beja, onde vive, e foi funcionário, no setor infanto‑juvenil da Biblioteca Municipal de Beja, 11 anos, na área da narração oral e na da mediação do livro e da leitura. É contador de histórias e, há cerca de 25 anos, que é narrador de contos tradicionais e promotor do livro e da leitura, pelo que são inúmeras as deslocações já fez a escolas, bibliotecas, estabelecimentos prisionais, centros de dia, festivais de teatro, feiras do livro, centros culturais, percorrendo de norte a sul o país, levando a arte milenar da palavra nua e crua e ao mesmo tempo imaginária deliciosa e doce a quem a queira ouvir. É também presença regular em seminários e oficinas de mediação de narração oral e mediação de leitura que tem efetuado para as Associações de Pais, Professores e educadores.

A convite do Instituto Camões esteve na Argentina, Uruguai, Cabo Verde, Luxemburgo e Estados Unidos, em Feiras do Livro. E também, por duas vezes, em Macau, como convidado pelo Instituto Português do Oriente.

É autor de vários livros publicados: O Corvo Branco – teatro para a infância; O Amor é Solúvel na Água – teatro; A.Ventura – poesia; A Sul de Ti – poesia; Estórias do Serafim – contos/humor; Sonhar ao Longe – infantil; A Minha Boca Parece um Deserto – infantil/teatro; Não há sede nas lembranças– romance; O Afinador de Memórias – infanto-juvenil.

E é membro do grupo musical Tais Quais, do qual fazem parte grandes nomes do panorama musical português como Tim, João Gil, Vitorino, Vicente Palma, Paulo Ribeiro, Celina da Piedade e Sebastião Santos.

Como humorista/Stand Up Comediant, tornou-se conhecido do grande público devido à sua participação regular em programas de televisão dos quais se destaca: Levanta-te Ri (SIC), Fátima Lopes (SIC), Sempre em pé (RTP2), Sexta à Noite (RTP1), Portugal Sem Fronteiras (SIC Internacional), Portugal no Coração (RTP1). Tem sido também convidado, por diversas empresas, para congressos e convenções para, utilizando o humor e as histórias, contribuir para criar motivação.

Da itinerância que vai construindo no dia-a-dia, guarda na memória algumas das atuações que o celebrizaram junto do grande público, realizadas em salas de espetáculos de referência no país: Coliseu dos Recreios em Lisboa, Aula Magna, Teatro Villaret, Teatro Tivoli, Culturgest, Centro Cultural Olga Cadaval em Sintra, Centro de Artes e Espetáculos da Figueira da Foz, Semana Cultural de São Vicente na Madeira, Festival SÓ RIR em Portimão e Albufeira, Teatro Garcia de Resende (Évora), Casinos do Algarve, grupo Pestana, etc…

Define-se como um esmerado cozinheiro nas artes da boa-disposição. Narrador de histórias rocambolescas onde habitam personagens caricatas em situações que nem lembram ao diabo, gosta de as temperar com uma pitada de absurdo e mais duas de imprevisto. Depois de a elas lhes tomar o gosto, refoga-as com muita sátira aos bons, maus e piores costumes, não se lhe escapando nada nem ninguém pelo buraco de uma agulha. Arremata o suculento cozinhado com um polvilhado de Stand Up Comedy.