“Nesta hora”

Do inverno das coisas ao poente do infinito Ana Fafe “Nesta hora limpa da verdade é preciso dizer a verdade toda”. Percorro os campos e vejo flores, amarelas, que pintam o manto verde da terra, tudo floresce e parece ganhar vida, é primavera. Pois, mas estamos no outono e foram as chuvas, que tanto aguardamos … Continuar a ler “Nesta hora”

Manhãs claras

  Do inverno das coisas ao poente do infinito Ana Fafe Há quem viva preso no passado. Outros têm nos dias que passam a perspetiva do futuro. E depois há o presente!... E as notícias dizem que desde 1993 que não havia memória de uma taxa de inflação tão elevada. Foi preciso recuar ao século … Continuar a ler Manhãs claras

Travessia

Do inverno das coisas ao poente do infinito Ana Fafe “Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, … Continuar a ler Travessia

“Existem muitos caminhos para a felicidade, ter um gato é um bom atalho.”

Do inverno das coisas ao poente do infinito Ana Fafe “Existem muitos caminhos para a felicidade, ter um gato é um bom atalho.” Não conheço o autor de tal afirmação, mas, numa casa de mulheres onde uma Alice chegou há pouco mais de cinco meses, pareceu-me apropriada, apesar de preferir dizer: “…ter uma gata é … Continuar a ler “Existem muitos caminhos para a felicidade, ter um gato é um bom atalho.”

Fortaleza

Escorre a lágrima pelo peito. As feridas profundas não saram. O negro fica-te bem!.. O tempo é inimigo do belo. As rugas marcam o rosto e as da alma já nada dizem. Falta-te a força. Esconde-se em ti. De olhar no chão guardas a vergonha. Mas hoje é dia... De olhar o azul profundo e … Continuar a ler Fortaleza