Da saudade…

à primeira segunda do mês Leonor Das variadíssimas formas de ela se manifestar, gosto particularmente daquela saudade sozinha, a mais engendrada de todas, nasce e morre sozinha, vai e vem como se fosse um boomerang, porque não tem para onde ir e apesar de subtil e calada, nunca pára, nem que seja para se abastecer…. … Continuar a ler Da saudade…